Publicado em 27/07/2021

Mitos e verdades sobre a pílula anticoncepcional

Mitos e verdades sobre a pílula anticoncepcional?w=1020

Milhares de mulheres usam diariamente a pílula anticoncepcional. Contudo, sobre esse assunto ainda há muitas dúvidas, principalmente sobre o funcionamento e efeitos colaterais desse método contraceptivo. A ginecologista e professora da FCMPB, Daniela Aires, esclareceu alguns mitos sobre esse tema. Confira!

Departamento de Comunicação: É mito que a pílula anticoncepcional engorda?

Daniela Aires:  O que pode acontecer a depender do tipo de hormônio utilizado e da sensibilidade da mulher a esse hormônio é a retenção hídrica, ou “inchaço”, que pode gerar o aumento de peso na balança e interferência na imagem corporal da mulher, e não o ganho de gordura corporal em si.

 

Departamento de Comunicação: É verdade que a pílula anticoncepcional pode alterar o humor?

Daniela Aires: Em uma pequena parte das mulheres, sim. Isso depende da sensibilidade da mulher a determinado tipo de hormônio. A maioria das mulheres não vai sentir diferença, e algumas poderão notar aumento da sensibilidade ou irritabilidade.

 

Departamento de Comunicação: É importante tomar a pílula anticoncepcional no mesmo horário?

Daniela Aires: Sim, é importante tomar sempre no mesmo horário. Pequenas mudanças, como um pouco antes ou um pouco depois do horário rotineiro, não têm grandes interferências. Mas, no geral, se a gente atrasar mais de 12 horas do horário habitual há redução na eficácia do anticoncepcional - ou seja, se são frequentes esquecimentos ou troca de horários, esse método se torna ineficaz.

 

Departamento de Comunicação: É verdade que a pílula anticoncepcional pode causar infertilidade? 

Daniela Aires: Não. A pílula não tem associação com infertilidade. A maioria das mulheres para o anticoncepcional e já retorna ao padrão ovulatório habitual; entretanto, em algumas mulheres (especialmente as que fazem uso prolongado do método), o organismo pode demorar alguns meses para identificar a suspensão da pílula e retornar à função ovariana normal.

Outro fato que pode acontecer é o anticoncepcional esconder ou mascarar patologias de base que têm relação com anovulação ou irregularidade menstrual, como por exemplo, a síndrome dos ovários policísticos. A mulher usa o anticoncepcional por algum tempo, suspende e demora a menstruar ou engravidar, não porque usou o anticoncepcional, mas porque tem uma patologia de base que interfere na ovulação e no ciclo menstrual dela.

 

Departamento de Comunicação: Na amamentação é possível tomar pílula anticoncepcional?

Daniela Aires: Sim. Existem pílulas específicas indicadas para o período da amamentação, bem como outros métodos contraceptivos que podem ser usados nesta fase. Por isso, é importante o acompanhamento com um ginecologista que oriente sobre o melhor tipo de anticoncepcional para as peculiaridades de cada mulher.